Vírus da poliomielite

 

Fizemos este post com o objetivo de informar sobre a história e quanto a parte científica da poliomielite.

  • O vírus da poliomielite e os problemas causados por ele
 A Poliomielite é uma doença viral, causada pelo poliovírus, infecto-contagiosa, que repercutiu em vários problemas à saúde pública mundial, pelo fato de sua rápida propagação pelo corpo do indivíduo. Este vírus, pode ser transmitida direta ou indiretamente pela saliva, tranfusões de sangue, utilização de objetos infectados, de forma que em locais com muitas crianças, como creches, em más condições de higiênie, a probabilidade de transmissão da doença é muito maior, até por isso, é mais simples a doença se espalhar de forma exageradamente rápida em criaças.

-INFECÇÃO DO INDIVÍDUO

Pelo fato do poliovírus ter alta infectividade, a invasão do vírus é extramamente rápida, manifestando logo os sintomas da doença.

-REPERCUSSÃO DA DOENÇA NO ORGANISMO DO HOSPEDEIRO

vítima de poliomielite

A poliomielite costuma atacar a princípio a parte gastro intestinal do indivíduo, causando dores abdominais e diarréia. A partir do momento que o vírus chega ao aos núcleos motores e atinge a parte do sistema nervoso responsável pelo funcionamento da respiração, se tem o estado mais crítico da doença, podendo causar paralisia e atrofiamentos assimétricos, ou seja, um indivíduo pode ter atrofiamento de uma única perna, como vítima de poliomielite na foto ao lado. A doença em seu estágio mais avançado pode causar quadros irreversíveis ao indivíduo, mas se diagnosticada logo no princípio da doença, pode haver a reparação total dos danos causados pelo poliovírus.

  • Desde quando existe essa doença? Quando ela foi descoberta?

A poliomielite, mais conhecida no Brasil como “paralisia infantil”, existente no mundo desde o tempo da Pré-história. A imagem abaixo mostra um homem com uma das pernas atrofiadas. É um registro de poliomielite no Egito Antigo, claro que, ainda não conhecida como tal. Apesar de sua existência, ela só foi reconhecida em 1840 por Jacob Heine, quando escreveu um texto caracterizando-a, e Karl Medin, que foi um dos primeiros a estudar a doença, ambos, médicos alemães. Sendo assim, a poliomielite inicialmente era chamada de doença de Heine-Medin

Registro de poliomielite no Egito antigo
  • O isolamento da doença, sua propagação e a criação de vacinas

Mesmo com o registro da doença, o vírus só foi isolado em 1908, em Viena, pela primeira vez. A poliomielite teve casos graves de propagação no Brasil, mas só houve descrição do primeiro surto em 1911 por Fernandes Figueira, diretor da Policlínica de Crianças e pediatra do Hospício Nacional de Alienados. Em 1917, houve mais uma descrição de surto da doença, porém, agora no estado de São Paulo. A partir daí, passam a ser descritos vários casos destes de poliomielite em um curto espaço de tempo. Com isso, no ano de 1953, várias cidades brasileiras estavam tendo problemas com casos epidemicos da doença e, pelo estrago à saude causado ao indivíduo infectado, nessa época o estado era considerado grave. Jonas Salk, junto com colaboradores, cria, através de pesquisas, uma vacina com o vírus inativo, sendo testada em longa escala a partir de 1954. Em 1960 entrou em cena uma vacina criada por Albert Sabin, com o vírus atenuado, tendo a vantagem de ser dosada oralmente.

  • A luta contra a poliomielite no mundo todo

A poliomielite assolou o mundo inteiro, mas com o surgimento da vacina, criou-se uma grande espectativa quanto à erradicação da doença. Houveram casos de negligencia, das autoridades, quanto à situação epidemica em alguns países, o Brasil foi um destes. A vacina contra a poliomielite foi passando a ser adotada de forma lenta pelos países do mundo todo. No Brasil, as vacinações iniciaram no ano de 1961, com o uso das “gotinhas” de Sabin, porém, a princípio, não foi possível abranger todo o Brasil. A primeira tentativa organizada nacionalmente no brasil foi o Plano Nacional de Controle da Poliomielite, em 1971, durando até 1974, quando essa estratégia foi abandonada, voltando à vacinação pouco abrangente. Em 1980, diante da situação alarmante por causa da polio, foram criados os dias nacionais de vacinação, que eram dois por ano, onde se tinha como objetivo vacinar toda a população brasileira em um unico dia. Instituições mundiais passaram a trabalhar em favor da ploriferação da vacina. Com isso criou-se o objetivo de erradicar de vez a poliomielite do mundo. Nas américas isso só foi possível no ano de 1994, na região ocidental do pacífico em 2000 e na Europa em 2002, mas até os dias de hoje  a doença continua trazendo problemas para a região da África e da Ásia. Na Nigéria, vários líderes religiosos acusaram a vacina contra a pólio de causar infertilidade e transmitir o vírus da aids, o que levou a um retrocesso nas campanhas, além de aumentar muito o caso de exportação da doença. Até hoje há a luta contra a poliomielite.

  • Prevenção da doença

No mundo todo, o poliovírus causou epidemias, mortes e sequelas irreparáveis. A doença foi erradicada das  américas, da Europa, mas ainda continua a assolar algumas nações africanas e asiáticas. Na Nigéria por exemplo a doença persiste de forma ascendente, por preconceito sobre as vacinas. Sendo assim, o número de exportações da doença é grante, principalmente nos países destas regiões, trazendo o risco de haver casos da doença no Brasil novamente.
A luta contra a poliomielite não foi vencida ainda; há ainda em todo mundo campanha de vacinação, inclusive no Brasil com a criação dos dias nacionais de vacinação. É necessário que as crianças tomem doses ao segundo, quarto e sexto mês de vida, de seis a doze meses depois da terceira dose, um reforço da vacina e outra aos cinco anos de idade. Como medidas profiláticas tem-se o saneamento base, já que o vírus pode ser transmitida também pelas fezes, adotando medidas básicas de higiêne e utilizando materiais esterilizados e descartáveis, para que pós uso esse seja logo eliminado.

  • Síndrome pós-poliomielite. Cuidado!

 

  • EXTREMAMENTE IMPORTANTE!!!!

Apesar da vacina de Sabin ter sido tão importante, ajudando a erradicar o poliovírus no mundo, há restrições quanto a vacinação em determinados indivíduos. Pessoas imunodeficientes não podem toamar a vacina do vírus atenuado, já que, podem expelir o vírus pelas fezes durante um período ainda de 60 dias após a vacina, causando o risco de contaminar outras pessoas, nesse caso, tendo adiquirido a doença e podendo ter quadro irreversível devido a infecção por parte dos vírus.
Poliomielite é coisa séria, e é tratável. Caso algum individuo tiver dores abdominais, diarréia, aliados a rigidez da nuca ou ainda pior, dificuldades respiratórias ou paralisias permanentes, deve-se urgente procurar ajuda médica, para que haja uma examinação rigorosa, com o objetivo de identificar o vírus e isolá-lo, e assim, caso haja mesmo a infecção possa se tratar desta doença, além de ser logo comunicado à autoridades da área da saúde, que irão trabalhar para evitar o contagio da doença em outras pessoas. 

  

  VAMOS FAZER A NOSSA PARTE PARA ERRADICARMOS DE VEZ A POLIOMIELITE!!!